13 de July de 2024

A União Europeia aprovou uma legislação que poderia possibilitar a integração de aplicativos como iMessage e WhatsApp.

No final de 2022, talvez seja possível utilizar o iMessage para se comunicar com seus amigos que estão no WhatsApp.

Esta é uma das várias consequências da recente Lei de Mercados Digitais, um regulamento acordado pelos Estados membros da União Europeia no Parlamento Europeu na sexta-feira. Embora a versão final do DMA ainda precise ser oficializada por meio de uma votação entre os países da UE, há expectativas de que seja aprovada e entre em vigor no início de outubro deste ano.

A ideia principal do projeto de lei é que grandes empresas de tecnologia, como Meta, Google e Apple (ou qualquer outra empresa com um valor de mercado mínimo de 75 milhões de euros e 45 milhões de usuários europeus por mês), não podem privilegiar excessivamente seus próprios aplicativos em dispositivos dos clientes. Por exemplo, ao adquirir um novo iPhone, o Safari pode não ser automaticamente o navegador padrão. Ainda é possível defini-lo como padrão, se preferir, mas haverá mais opções disponíveis durante a configuração inicial.

Além disso, está sendo cogitada a possibilidade de os serviços de mensagens como iMessage, WhatsApp e Facebook Messenger serem compatíveis entre si. Há uma expectativa de que isso possa ser o primeiro passo para acabar com a divisão entre usuários de iOS e Android em relação às cores de texto utilizadas, o que é motivo de grande expectativa.

Qualquer empresa que violar essas normas corre o risco de ser multada em até 10% de suas receitas totais na primeira vez e 20% na segunda vez. Após a terceira violação, a União Europeia poderia intervir e até ameaçar medidas tão drásticas como a dissolução da empresa.

Leia Mais:  A Rússia está dividida devido ao uso do aplicativo Zello walkie-talkie em meio ao conflito em andamento.

Isso pode parecer uma utopia, mas a União Europeia tem sido o único órgão regulador global a impor regras rigorosas para que as grandes empresas de tecnologia ajam em prol do bem comum nos últimos anos. A legislação de Proteção de Dados, conhecida como GDPR e aprovada em 2018, estabeleceu que as empresas de tecnologia que operam na Europa devem informar os usuários sobre violações de dados, obter consentimento para rastrear informações (por exemplo, ao solicitar permissão para usar cookies) e permitir que as pessoas excluam seus dados, se assim desejarem.

  • Aspectos a serem considerados pelos cidadãos russos ao fazer uso do aplicativo Telegram.
  • Como a palavra ’empatia’ persuadiu a equipe da Crisis Text Line a compartilhar suas informações.
  • Mais de cem aplicativos foram identificados como tendo compartilhado dados de localização com um corretor de dados não autorizado.

O que os cidadãos russos precisam considerar ao utilizar o aplicativo Telegram.

Como a palavra ’empatia’ persuadiu a Crisis Text Line a compartilhar suas informações.

Mais de cem aplicativos foram identificados vendendo informações de localização para empresas de coleta de dados.

Por outro lado, as empresas de tecnologia também demonstraram anteriormente que estão dispostas a fazer ajustes específicos para atender às exigências regionais. Um exemplo disso é a Lei de Privacidade do Consumidor da Califórnia, aprovada em 2018, que impõe restrições à coleta e venda de dados pessoais pelas empresas. Em vez de promover uma mudança em nível nacional, a CCPA levou as empresas a criarem exceções e procedimentos específicos, como fez a Sirius XM, para lidar com os dados dos usuários na Califórnia.

E uma vez que não é viável investir tempo ou recursos em versões exclusivas de aplicativos apenas para a Europa, os usuários nos EUA acabaram recebendo todos esses benefícios também. Se o DMA for implementado, não seria surpreendente começar a receber mensagens do Facebook em sua caixa de entrada do iMessage.

Leia Mais:  Comparação entre o Steam Deck e o Lenovo Legion Y540: Eu experimentei ambos, mas qual é o superior?

Google – Suporte técnico para PCs