22 de June de 2024

Cientistas capturaram imagens de um imenso ser marinho das profundezas, o qual é extremamente surpreendente.

As enormes gelatinas fantasmas não ferem suas presas. Elas as envolvem com seus braços de 30 pés de comprimento.

Cientistas que estudam o fundo do mar a bordo do navio de pesquisa Schmidt Ocean Institute, Falkor, registraram imagens incomuns de uma medusa gigante nas águas da Costa Rica. Utilizando um veículo controlado remotamente (ROV), eles filmaram o animal marinho.

GiantPhantom, uma organização sem fins lucrativos dedicada à pesquisa oceânica, compartilhou recentemente em X (antigo nome do Twitter) sua empolgação ao avistar uma rara gelatina nas águas da Costa Rica. Essa criatura incrível e delicada, que vive na zona da meia-noite longe dos humanos, não representa nenhum perigo devido à sua dieta e comportamento.

A área escura conhecida como “zona da meia-noite”, onde vive a geléia fantasma, é um local desprovido de luz solar. Localizada entre 1.000 e 4.000 metros abaixo da superfície, a única fonte de iluminação é proveniente de organismos que emitem luz naturalmente (bioluminescência) ou de luz artificial gerada por robôs.

Aqui está a enorme gelatina fantasma iluminada, estendendo seus imensos braços como fita.

Pouco se sabe sobre uma criatura que é raramente avistada na escuridão da noite. O Instituto de Pesquisa do Aquário de Monterey Bay afirma que os cientistas possuem conhecimento limitado sobre esse animal. Acredita-se que se alimente de plâncton e peixes pequenos.

Deseja receber mais informações sobre ciência e tecnologia em sua caixa de entrada? Inscreva-se hoje na newsletter Light Speed da Mashable.

  • Fotos recentes de lulas enormes revelam que elas não são criaturas assustadoras, afinal de contas.
  • Um tubarão dominante espreita nas profundezas do oceano sombrio. Apresento-lhe o Sixgill.
  • Uma nova pista intrigante surgiu sobre a extinção do imenso megalodonte.
  • As descobertas surpreendentes do oceano em 2020 são impressionantes.
  • Por qual motivo os Estados Unidos enfrentarão um considerável aumento do nível do mar.
Leia Mais:  A primeira sonda espacial chega à órbita lunar e traz de volta imagens.

Diversas organizações de pesquisa atualmente estão investigando, registrando e mapeando as profundezas do oceano. Os cientistas desejam trazer à tona, tanto literalmente quanto figurativamente, o que está situado nas camadas mais baixas. As implicações desse conhecimento são inestimáveis, especialmente quando os mineradores do mar profundo estão se preparando para utilizar equipamentos industriais semelhantes a um tanque em certas partes do fundo do oceano. Por exemplo, expedições de pesquisa têm descoberto que a vida marinha possui um grande potencial para o desenvolvimento de novos medicamentos. “Estudos sistemáticos em busca de novas drogas têm demonstrado que os invertebrados marinhos produzem mais antibióticos, substâncias anticâncer e anti-inflamatórias do que qualquer grupo de organismos terrestres”, aponta a Administração Nacional Oceânica e Atmosférica.

As expedições de descoberta dos oceanos profundos nunca deixam de impressionar.

Derek Sowers, um líder de expedição da NOAA Ocean Exploration, afirmou no ano passado que sempre fazemos novas descobertas quando nos aventuramos nas profundezas do mar. Ele ressaltou que constantemente encontramos coisas que não havíamos visto antes.

Os seres vivos do reino animal