21 de June de 2024

A Apple afirma que o seu novo Vision Pro não se trata de VR ou AR, mas sim de “computação espacial”.

Segundo Tim Cook, estamos vivenciando o advento da computação espacial. A Apple lançará em fevereiro de 2022 sua mais recente tecnologia, o Apple Vision Pro, nos Estados Unidos. Para se preparar para o lançamento, a Apple divulgou orientações para o desenvolvimento de aplicativos destinados à App Store do dispositivo. Essas diretrizes contêm informações interessantes sobre o que esperar do Apple Vision Pro.

No meio das instruções para a formatação correta (“visionOS começa com um V minúsculo, mesmo quando é a primeira palavra em uma frase”) e detalhes que podem ser facilmente ignorados (“Não chame o Apple Vision Pro simplesmente de ‘headset'”), há uma informação interessante sobre a estratégia da Apple para posicionar seu dispositivo no mercado.

A Black man in a mustard-colored sweater stands at a desk wearing the Vision Pro. Two screens are projected in front of him.
Imagem: MaxWdhs/Flickr

O texto sugere que em vez de usar termos como realidade aumentada (AR), realidade virtual (VR), realidade estendida (XR) ou realidade mista (MR), é recomendado se referir ao aplicativo como um aplicativo de computação espacial.

Esta separação, apesar de ser inábil, é uma estratégia tradicional de marketing da Apple.

A computação espacial não é exatamente uma preocupação para os concorrentes da Apple, como também não é um termo que eles utilizam. Empresas como Meta (e Oculus antes dela), Sony, HTC e outras preferem usar o termo “realidade virtual” para descrever suas ofertas. Mesmo com seus esforços para tornar o conceito convincente, fatores como branding fraco, marketing deficiente, casos de uso limitados e o desconforto dos dispositivos resultaram em uma adoção e vendas lentas. Meta, e Mark Zuckerberg em particular, transformaram a promessa da realidade virtual em uma piada sem sentido.

A white curly-haired man wearing the Apple Vision Pro is seen from the back. He is watching video of two girls (presumably his daughters) on a screen projected in front of him
Imagem: TomasHa73/KaboomPics

Esses erros dificultaram a persuasão dos consumidores em qualquer forma de realidade simulada, seja ela virtual, aumentada ou estendida. E para convencer os compradores de que o Vision Pro é tão vital em seu dia a dia como o iPhone, a Apple precisa que seu dispositivo seja visto como único e superior aos modelos anteriores.

Leia Mais:  Análise e impressões sobre o novo modelo da Apple Pro: Robusto, porém impressionante.

Ao afirmar que o VR é uma nova “era” sem a presença do VR, a Apple está reiniciando e redefinindo a situação. Isso também reduz a importância da pesquisa do Google sobre “computação espacial” e confere credibilidade ao projeto como um todo.

A maioria das pessoas pode não ter conhecimento sobre o que é a computação espacial, mas o termo soa complexo e futurista o bastante para revitalizar uma indústria que está em declínio e perdendo importância.

A Realidade Virtual é uma tecnologia que permite aos usuários experimentarem um ambiente virtual e interativo, por meio de dispositivos como óculos especiais e luvas sensoriais.