30 de May de 2024

A presença de Trump em redes sociais enfrenta problemas constantes, com dois importantes líderes de tecnologia deixando a empresa Truth Social.

Cerca de um mês após seu lançamento na Apple App Store, dois principais colaboradores da Truth Social, uma plataforma de mídia social associada ao ex-presidente Donald Trump, estão se despedindo do projeto.

Conforme um recente relatório da Reuters, os executivos responsáveis pela tecnologia e pelo desenvolvimento de produtos da Truth Social, Josh Adams e Billy Boozer, renunciaram aos seus cargos na empresa.

Suas saídas podem ter grandes consequências para o projeto de mídia conservadora. Fontes de destaque para a Reuters os consideravam essenciais, com um deles chamando Adams de o principal responsável pelo desenvolvimento da Verdade Social. Boozer era reconhecido por desempenhar um papel de liderança e gerenciar diversas equipes que trabalhavam na Truth Social. Segundo a Reuters, a contratação já era restrita para o Truth Social devido à sua natureza como plataforma politicamente conservadora.

As saídas de Adams e Boozer da empresa representam outro golpe significativo para a rede social alternativa. No ano passado, quando uma versão alfa do novo site Truth Social foi lançada, ela foi prontamente alvo de trolls que vandalizaram a plataforma com contas falsas e memes inapropriados, como imagens de fezes de porco.

Em seguida, a rede social de Trump teve que reconhecer publicamente que estava usando Mastodon, um software de código aberto criado após violar seu contrato de licenciamento ao omitir esses detalhes.

Quando a Verdade Social foi oficialmente lançada no Dia do Presidente em fevereiro passado, a maioria das pessoas não conseguiu usá-la, sendo direcionadas para uma lista de espera. Muitos ainda aguardam para ter acesso à plataforma. Aqueles que conseguiram acessar o Verdade Social perceberam que houve problemas que resultaram em pouca atividade na plataforma, a menos que fossem figuras conhecidas no movimento conservador.

Leia Mais:  O Twitter disponibilizou a opção de realizar chamadas de áudio e vídeo no Android, porém, somente para os usuários que adquiriram a versão Premium.

Descrita como uma plataforma que promove a “liberdade de expressão”, os usuários do Truth Social descobriram que, na realidade, a plataforma de mídia social impõe regras semelhantes às das grandes empresas de tecnologia, resultando em proibições e remoção de conteúdo. Um usuário relatou que seu nome de usuário foi banido da Truth Social porque um usuário com um nome semelhante estava provocando o CEO do Trump Media & Technology Group no Twitter. A TMTG é a empresa responsável pela Truth Social.

A Truth Social experimentou uma queda significativa no número de downloads de seu novo aplicativo para iOS, passando de centenas de milhares para apenas 60.000 nas últimas semanas. O aplicativo atualmente só está disponível na App Store da Apple, não possuindo versões web ou para Android até o momento. Além disso, o fundador da empresa, Donald Trump, não tem sido ativo em sua própria plataforma de mídia social, tendo feito apenas um post antes do lançamento do aplicativo e não publicado mais nada desde então.

Não se sabe exatamente por que Adams e Boozer saíram da empresa. No entanto, é possível que diversas questões tenham influenciado essa decisão. A saída deles já está afetando negativamente a empresa, pois as ações da Digital World Acquisition Corp., companhia com a qual a TMTG, empresa de conchas, se fundiu para entrar no mercado de ações, caíram até 14% após a notícia.

O presidente Donald Trump