13 de June de 2024

O telescópio Webb observou algo incomum em Urano.

Antes de o Telescópio Espacial James Webb observar Urano, a concepção que a maioria das pessoas tinha do sétimo planeta era apenas a de uma esfera azul brilhante, movendo-se através do distante sistema solar.

A situação mudou quando o principal observatório espacial infravermelho começou a investigar o imenso planeta de gelo no início deste ano, destacando suas características como anéis verticais, mais de vinte luas, tempestades intrigantes e um ponto brilhante no polo norte, conhecido como uma tampa polar.

Agora, estão sendo divulgadas novas imagens capturadas pelo telescópio, que foi desenvolvido em parceria entre a NASA, as agências espaciais europeias e canadenses. Essas imagens estão revelando mais informações sobre o fenômeno sazonal que ocorre no polo norte de Urano, o qual parece surgir quando há maior incidência de luz solar nessa região, à medida que o planeta se aproxima do seu solstício. No outono, o ponto polar desaparece.

Comparado à foto rápida de Urano tirada em abril, certos elementos do recurso – como a tampa interna brilhante e branca, e a faixa escura na parte inferior da tampa polar, localizada mais distante do planeta – são mais visíveis.

De acordo com a NASA, é possível observar tempestades brilhantes perto e abaixo da fronteira sul da tampa polar de Urano. A quantidade e a frequência dessas tempestades, assim como sua localização na atmosfera do planeta, podem ser resultado de uma combinação de efeitos sazonais e meteorológicos.

Quando o próximo solstício de Urano ocorrer em 2028, os cientistas esperam observar eventuais variações nessas propriedades. Explorar essas mudanças auxiliará os pesquisadores a compreender melhor a atmosfera complexa desse planeta.

Uranus and its moons
Imagem: MaxWdhs/StockVault

Urano é peculiar porque possui um movimento de rotação em torno de seu próprio eixo e experimenta as estações mais intensas em comparação com os demais planetas do sistema solar. Durante quase um quarto do ano uraniano, o sol ilumina apenas um dos polos, fazendo com que a outra metade do planeta fique imersa em um longo e sombrio inverno que dura mais de vinte anos.

  • Urano pode possuir oceanos subterrâneos em seu interior.
  • Webb revolucionou completamente a nossa compreensão de Urano.
  • Os pesquisadores conseguiram identificar a razão pela qual uma grande nuvem marciana retorna anualmente durante a primavera.
  • Os oceanos em outros planetas da galáxia podem ser encontrados com uma frequência 100 vezes maior do que se acreditava anteriormente.
  • Em 2023, foram encontrados novos planetas interessantes pelos astrônomos.
Leia Mais:  CES 2024: Este inovador laptop oferece a possibilidade de se transformar em um tablet, um ventilador ou até mesmo um companheiro robótico.

Urano, localizado a uma distância aproximada de 2 bilhões de milhas da Terra, é composto por elementos como água, metano e amônia, que estão envolvidos em torno de um pequeno núcleo de rocha. Em relação ao Sol, Urano leva 84 anos para completar uma órbita.

Webb conseguiu registrar tanto os anéis mais próximos quanto os mais distantes do sistema de Urano, como o difícil de ser observado anel Zeta, que é fino e fraco e está mais próximo do planeta. Além disso, também registrou várias das 27 luas do planeta.

Agência Espacial dos Estados Unidos, conhecida como NASA.