26 de February de 2024

A NASA informa que há muitos objetos do tamanho de uma cidade emitindo luz no espaço.

Mesmo o Super-Homem enfrentaria dificuldades em conseguir segurar um fragmento de uma estrela de nêutrons.

Continua após a publicidade

Uma única peça de açúcar com formato cúbico feita deste material extremamente denso, que são os restos de uma estrela colapsada, tem um peso equivalente a 1 bilhão de toneladas, o que é comparável ao tamanho de uma montanha, de acordo com a NASA. Recentemente, os cientistas que utilizam o telescópio espacial Fermi Gamma-ray da agência anunciaram a descoberta de quase 300 estrelas de nêutrons únicas, chamadas pulsares. Essas estrelas de nêutrons emitem feixes intensos de luz a partir de seus polos.

Eles são como pontos luminosos no universo. Quando seus raios alcançam nosso planeta, podemos identificá-los. Além disso, alguns pulsares giram em uma velocidade tão alta que superam até mesmo a rotação de um liquidificador, podendo chegar a centenas de vezes por segundo.

A busca e a cartografia de pulsares são de grande interesse na comunidade científica. Esses corpos celestes oferecem informações valiosas sobre a evolução das estrelas, a história das galáxias e, potencialmente, podem ser utilizados como uma espécie de GPS para viagens espaciais no futuro.

O vídeo fornecido pela NASA apresenta uma visualização dos diversos pulsares encontrados pela sonda espacial Fermi Gamma-ray em nossa galáxia, a Via Láctea. Esses pulsares em particular são notáveis, pois apenas uma pequena porcentagem deles, cerca de 10%, emite raios gama, que são a forma mais intensa de energia no espaço. Cada símbolo presente no vídeo representa a localização de um pulsar.

“Em uma declaração, David Smith, diretor de pesquisa do Laboratório de Astrofísica de Bordeaux, explicou que o objetivo do novo catálogo é reunir informações abrangentes sobre os pulsares de raios gama já identificados, com o intuito de incentivar novas oportunidades de pesquisa e descobertas.”

Leia Mais:  A sonda Voyager da NASA não está mais se comunicando e não há uma solução imediata.
A neutron star compared to Manhattan, New York. These objects are like "crushing half a million times Earth
Imagem: JonPauling/iStock

  • A estrela mais cativante em nosso firmamento está cada vez mais próxima de entrar em erupção.
  • Ideias para objetos sugeridos: Júpiter e eventos explosivos, exposições de imagens do espaço.
  • Os telescópios mais recomendados para a observação de estrelas, planetas e galáxias no próximo ano de 2023.
  • A NASA fica emocionada com o romance espacial? A situação é complexa.
  • Se um asteroide ameaçador estiver prestes a colidir com a Terra, aqui está a maneira de identificá-lo.

Gostaria de receber mais informações sobre ciência e tecnologia diretamente na sua caixa de entrada? Assine a newsletter Light Speed da Mashable hoje mesmo.

No futuro, a sonda poderá utilizar esses objetos em movimento rápido e os jatos disparando de seus polos para se deslocar no espaço, um ambiente sem as facilidades do GPS ou do Google Maps.

Zaven Arzoumanian, um cientista da NASA especializado em pesquisa de pulsares, explicou que é possível determinar a localização de uma nave espacial e navegar por qualquer lugar ao cronometrar as pulsações dos pulsares que estão distribuídos em várias direções ao redor dela. Ele comparou esse método ao funcionamento do sistema GPS na Terra, onde relógios precisos são utilizados em satélites em órbita.

A Agência Espacial Norte-americana, conhecida como NASA, é uma organização responsável por explorar o espaço e conduzir pesquisas científicas.